Onírica

Tu dormes no crepúsculo lilás
Sobe e desce teu peito, meu desejo,
Pesado respiras enquanto vejo
Pálpebras a tremer; que sonharás?

Mergulhei sob o lençol lentamente
Para achar co’ a boca tua turgidez.
Mil círculos minha língua te fez
Em louvor tão mudo quanto eloqüente.

Já gemes das profundezas do sono;
Por não te acordar me faço prudente
Neste culto ao teu dote saliente,
Tão devoto quanto sei que és meu dono.

Toco no compasso dos teus tremores:
Se vejo que te aproximas do fim,
E teus quadris se aproximam de mim,
Calo pra teres do sonho os favores.

Mas então veio o esguicho inesperado
E mal dei conta de tua profusão.
Devorei o gosto da tua paixão
E adormeci no teu peito saciado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s